Select Page
Histeroscopia

Histeroscopia

Histeroscopia

Não tenho escrito muito sobre temas de Ginecologia, na verdade não me tem apetecido … e como não gosto de me contrariar… não o tenho feito. ( Na verdade tenho escrito e muito…mas não sobre “ciência”… tell no one!)
Mas hoje acordei com vontade de escrever sobre uma técnica de diagnóstico e de tratamento que é a Histeroscopia.

A histeroscopia pode ser comparada à colonoscopia (mais conhecida), sendo uma técnica que através de uma fibra óptica nos permite ver o interior do útero.
Ela é realizada quando na realização de uma ecografia pélvica surge a dúvida que exista patologia intra-uterina como pólipos, miomas, septos uterinos, espessamento do endométrio, etc.
No fundo a introdução do histeroscópio dentro do útero, permite-nos ver nitidamente num monitor a cavidade uterina.

 

 

A histeroscopia passa de diagnóstica a cirúrgica, no momento em que detetamos patologia e realizamos o seu tratamento, seja a exérese de pólipos, miomas ou septos uterinos.Este tipo de lesões quando existem dentro do útero podem impedir uma gravidez, dar sintomas como hemorragias intensas e serem inclusive lesões pré-neoplásicas. Tendo, portanto indicação para o seu estudo e sua remoção.

É uma técnica amplamente utilizada na ginecologia.

Querem saber mais?
Perguntem.

Um Bom Domingo.

 

Se gostou, partilhe:
Entrevista

Entrevista

Passadas as festividades, deixo aqui a Entrevista que saiu no suplemento Perspectivas, com o Jornal Público a 19 de Dezembro.

Partilho assim um pouco de Mim, mais uma vez.

Sobre a minha Paixão, vivida cada dia que partilho convosco no meu quotidiano… sobre os sorrisos que nascem em cada teste de gravidez positivo, em cada momento que olhamos os 3 no ecrã do ecógrafo o pequeno ser que se transforma… em cada momento único em que O trago até vós e a Magia acontece.

Falo mais uma vez numa temática que me toca muito, que é a Maternidade.

Falo ainda numa nova aposta de formação numa área muito pertinente na sociedade atual… leiam para saber…

Espero que Gostem.

Um Bom Domingo!

 

Se gostou, partilhe:
Natal. Família. Doces. Amor. Luzes.

Natal. Família. Doces. Amor. Luzes.

Cá em casa, na lareira, mora o presépio…

Debaixo da árvore de Natal, enfeitada de pequenos bonequinhos de peluche da Disney, estão os presentes, em embrulhos coloridos de formatos variados.
Há luzes em toda a casa…
Luzes numa segunda árvore de Natal… e numa terceira… (tell no one!)
Sim… cá em casa a própria casa veste-se de Natal… e as luzes piscam…

A Magia do Natal fortemente abalada o ano passado com a “morte “ do pai Natal, renasce nas decorações e nos doces cozinhados a duas… eu e ela, juntas na cozinha a fazer sonhos, rabanadas e bolo rei… e entre as massas amassadas pelas nossas mãos, muitos ovos , açuçar e canela vivemos o Natal.

Como o Pai Natal “morreu” num enorme desencanto da minha parte… os presentes foram surgindo ao longo da tarde… já não há Pai Natal… a loucura de o ouvir chegar com um grande saco já não existe… então para quê esperar pela meia noite!?

E fomos brincando a tarde toda, a noite toda… até o sono chegar.

Natal. Família. Doces. Amor. Luzes.
Relembrando os que mesmo longe estão perto.
Relembrando os que estão sós.
Relembrando os que partiram.

Há música no ar… e o teu riso a abrir mais um presente… “ Oh mãe, não era preciso…” …naquela tua maravilhosa essência que dá valor às coisas e num abraço me apertas, de novo.
Penso no meu irmão que neste Natal está tão longe…
E num misto de sentimentos sorrio… porque estou Viva… e quem eu Amo também.

Sorrio a cada mensagem que recebo, das verdadeiras… porque as sms’s de “copy paste”, nem chego a abrir… Sorry but it’s true.

O gordo do Pai Natal pode ter morrido… mas a Magia não.
Agora Sei.
A Magia vive dentro de nós.

Amem Muito.
Amem Sempre.
Porque o Segredo da Vida, é… Amar.

Feliz Natal!

Se gostou, partilhe:
Thank You!

Thank You!

Por vezes acordo com uma sms “vossa”, enviada em horas impróprias num impulso incontrolável de me contarem a boa nova…
Em muitos casos realmente ajudei-vos a atingir o vosso objetivo ímpar de serem pais.
Ou porque orientei o “dia” ou porque obriguei um ovário mais preguiçoso a ovular, ou simplesmente porque vos fiz Acreditar!
São das mensagens mais gratificantes que recebo.

Mas há mais!…
Sim, o vosso feedback deixa-me vezes sem fim Feliz.

Há as mensagens que me enviam quando o pequeno/pequena fazem anos… que me derretem por se lembrarem que estive presente nesse dia Maravilhoso.
Há as mensagens esporádicas, porque vos deu na gana de me enviarem uma foto do rebento a sorrir ou no seu primeiro banho do mar… ou…
As mensagens no dia que chegaram a casa… Aquele dia em que voltam 3 para casa após a longa espera…

Mas há mais momentos…

O dia em que pela primeira vez ouvimos o bater do pequeno “coração” no ser de 5mm que pisca no ecrã.
O dia em que me confessam o nome do escolhido… o qual volta e meia adivinho…
O dia em que pelas minhas mãos, que orgulho sem fim, vos mostro o vosso filho pela primeira vez … e o ouvimos chorar, um som tão esperado… Aconchego-o sempre ao meu peito enquanto aguardo os 60 segundos (dar tempo às células do cordão para passarem para o bebé) e em surdina lhe desejo uma Vida Feliz.

Adoro as Fotos que os Pais tiram desse momento… o sorriso rasgado nos meus olhos, sim, porque o outro se esconde por detrás da máscara…

Hoje venho Aqui apenas para vos Agradecer!

Agradecer-Vos por me escolherem para fazer parte do Vosso Momento.
Agradecer-Vos por se lembrarem que estive lá, ano após ano.
Agradecer-Vos por todos esses momentos que pautam a minha “Rotina” e a tornam espantosamente única.
Agradecer-Vos por se Acreditarem … porque sem Vocês o meu trabalho não teria sentido… 

Obrigada!

Se gostou, partilhe:
Sinais de Parto

Sinais de Parto

Sinais de Parto

As semanas passam… a barriga cresce…

Etapa após etapa ultrapassada…
Rastreio do primeiro trimestre, check.
Ecografia morfológica, check…
37 semanas check… bebé de termo… SMILE.

E quando o download da pequena criatura está quase, quase completo… algo cresce dentro de nós além do bebé … um Amor Inexplicável  a par de uma Ansiedade Imensa…

TicTac, tictac… em cada contração que se inicia um alerta, num suspiro assustado … “Será O início?!”…

Então, perguntam vocês : “ Quais os Sinais que me alertam que o Parto está próximo?”

O principal sinal serão as contrações.
O que saber sobre estas “meninas”? Ora bem, as contrações são a perceção da barriga dura, resultante da contração do músculo uterino. A barriga endurece por segundos e volta ao seu estado normal logo após.
Elas podem ser “falsas” e ocorrer em qualquer fase da gravidez, regra geral sendo mais comuns a partir das 20 semanas. Estas contrações denominadas de Braxton-Hicks ( descritas em 1872 por um médico inglês chamado John Braxton-Hicks), são apenas digamos que uma preparação para o parto. São desconfortáveis, mas indolores.
As contrações associadas ao Trabalho de Parto são dolorosas, rítmicas, com aumento progressivo da sua intensidade e diminuição progressiva do intervalo entre elas. Estas contrações apresentam repercussão no colo uterino, encurtando-o.

Outro sinal é a rutura de bolsa de águas.
O bebé, dentro do útero, está envolvido por líquido amniótico, líquido esse que o protege e contribui para o seu desenvolvimento.
A rutura desta bolsa traduz-se na maioria das vezes por perda notável de líquido transparente e inodoro.
Esta rutura pode ocorrer durante o trabalho de parto, mas em alguns casos é o seu primeiro sinal.
Pontualmente ocorre uma pequena fissura alta, que se traduz numa perda escassa o que torna mais difícil o diagnóstico.

Um terceiro sinal que o parto está para breve é a perda do rolhão mucoso.
O rolhão mucoso é uma espécie de “tampão” que ocupa o canal cervical e protege a subida de bactérias da vagina para o útero. Quando este é expulso sabemos que o parto está para breve, ie, que na maioria dos casos vai ocorrer nos 7 dias seguintes.
O rolhão é uma substância gelatinosa, transparente ou raiada de sangue.
Se ocorrer expulsão do rolhão mucoso devem alertar o vosso Obstetra.

Se se iniciarem contrações ou rutura de bolsa de águas o contacto deverá ser ainda mais rápido.

Em alguns casos há um 4º sinal que o Parto se encontra iminente…
Ora bem, se o parto for programado, agendado e o vosso bebé não se portar mal até essa data… o 4º sinal será um lembrete no vosso telemóvel a dizer: “Este é O Dia!”

Em qualquer um dos casos, sorriam!

Com tranquilidade, irão finalmente conhecer o Amor das Vossas Vidas.

Esta semana estive nos Filhos e Cadilhos a falar sobre este tema… vejam o vídeo da Entrevista orientada pela Mariana D’Orey … cliquem Aqui.

 

 

 

Se gostou, partilhe:
Entre o Ócio e o Dever

Entre o Ócio e o Dever

Fim de semana prolongado…

3 dias cheios de ócio, de nada fazer…

No meio da loucura frenética do quotidiano, que não me canso de acusar de cansativo pela sua exigência extenuante que nos impele a fazer sempre mais e melhor… usufruir de uma pausa revela-se como um prazer caprichoso, tão estupidamente raro, como maravilhoso.

Dormir sem ter hora de acordar.
Acordar, sem ter um plano de “to dos” para fazer…

Espreguiçar e olhar o horizonte, hoje verde, numa mescla de vários tons…

Saborear um pequeno almoço, daqueles bons, recheados e prolongados, que se transformam num Brunch… aquele termo inglês cujo conceito adotei para os meus Domingos.

Brunch… que ideia incrível de juntar o Breakfast (pequeno –almoço) com o Lunch ( almoço), no dia de Domingo!
Para a família portuguesa mais tradicional, que vai almoçar o assado aos avós aos Domingos, não será uma opção… mas sim para muitas famílias, que iniciam novas tradições… mas já me perdi…

Voltando ao cerne da questão, nomeadamente ao meu calmo Domingo, terceiro dia deste fim de semana, de pausa requintada … acabava eu o meu maravilhoso Brunch quando fui convocada pelo dever.

Uma paciente ligou, tinha acabado de lhe “romper a bolsa”… o que para quem não pesca nada desta lide, quer dizer que a bolsa amniótica que envolve e protege o bebé rompeu e este perde o líquido que o envolve, sendo muitas vezes um início de trabalho de parto.

E em segundos, em poucos segundos quando dei por mim estava no meu carro, com um destino inserido no GPS… e foi assim que 400 km foram percorridos levemente … no trajeto que a obrigação abreviou foram realizados os contactos para juntar a equipa de cerca de 10 elementos.

Na verdade, o tempo voou, a distância dissipou-se e todos estavam presentes na hora “marcada”, no fundo escolhida pela pequena pessoa que se lembrou de nascer hoje e não daqui a 5 semanas… porque na Obstetrícia é assim… quem pode mandar, Manda!

E mais uma vez chego ao fim do dia e estou de coração cheio… e agradeço a todos, e são vários os que me ajudaram nesta viagem. Neste salto entre o ócio e a obrigação… neste transportar para o momento mágico em que pelas minhas mãos, o H. chegou a esta Vida.
Poder magnífico que agradeço todos os dias. Obrigada!

 

 

Se gostou, partilhe: