Select Page
Gratidão, a linguagem do coração…

Gratidão, a linguagem do coração…

Nesta época Natalícia, onde se celebra o AMOR… gostava de deixar aqui uma “carta” que uma das minhas mamãs me escreveu e que tanto me encheu o coração. Relembrar que o que nos enriquece não é o que possuímos, mas o que somos… o que damos de nós ao Outro. Mais do que prémios ou dinheiro o que verdadeiramente nos torna mais ricos é Dar e Receber de volta, GRATIDÃO. Todos os dias agradeço esta oportunidade de tocar no Outro… de ter a capacidade de abrindo o coração, dar tudo que tenho e fazer a diferença… NATAL  é AMOR, e significa NASCIMENTO. Neste Ano que está a findar, tão duro, estamos AQUI.. Sejamos Gratos. Aproveitemos para Renascer, numa versão melhor, menos centrada no que temos, mas no que somos. Mais centrados no momento em que vivemos do que no destino. Estar AQUI e AGORA. Mais centrados na rede de pessoas que criamos, com quem aprendemos e crescemos… e citando uma das frases que mais acredito escrita por  Antoine de Saint-Exupéry : “Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.” Grata ao Universo que me coloca no caminho pessoas magníficas, que cruzando a minha Vida me fazem melhor e me fazem sentir “blissed” e “blessed”… Gratidão é a linguagem do coração… Grata… todos os dias.
Se gostou, partilhe:
Insónias e afins…

Insónias e afins…

Os distúrbios do sono são um dos sintomas pelo qual os adultos mais procuram ajuda médica. Quer por dificuldade em adormecer, que por dificuldade em manter o sono, por diversos despertares noturnos ou porque acordam pelas 04h-05h da manhã e não conseguem voltar a adormecer.

Uma baixa qualidade de sono interfere com a nossa atividade diária, sentimo-nos cansadas, com perda de capacidade de concentração, aumento de erros cometidos com diminuição do nosso rendimento global.

Existem duas fases na Vida da Mulher em que a insónia tem especial incidência, na Gravidez e na Menopausa.

Na Gravidez existem vários motivos para a futura mãe dormir mal, motivos esses que vão variando ao longo da gravidez.
No início dormimos mal porque a bexiga nos obriga a levantar da cama várias vezes… a meio da gravidez surge a azia, o refluxo, passando pelas terríveis cãibras que nos fazem acordar agarradas às pernas quase a chorar. Os próprios movimentos do bebé por vezes nos acordam num pontapé mais empolgado. Nas últimas semanas a dificuldade em alcançar uma posição confortável e as dores de costas são o grande desafio.  Já para não falar nos pesadelos que muitas grávidas relatam que lhes perturbam o sono e as impedem de voltar a adormecer, na maioria relacionados com medos relacionados com o bem-estar do bebé e com o parto.

Na Menopausa a principal causa são os “calores” ou “hot flashes” (sintomas vasomotores), que fazem acordar as mulheres acaloradas e encharcadas em suor, por vezes várias vezes por noite. Mas há outros motivos, como ansiedade e depressão associadas a uma grande quantidade de alterações que acontecem nesta fase. A baixa de estrogénios típica da menopausa aumenta a dificuldade em emagrecer, a pele fica mais seca, a libido diminui… diminuindo a autoestima da mulher. Na maioria dos casos os filhos estão a sair de casa nesta fase e a síndrome do ninho vazio também não ajuda. A menopausa assinala o fim da nossa capacidade reprodutiva e a mulher muitas vezes, incorretamente, deixa de se sentir MULHER.

O que fazer quando a alteração do padrão do nosso sono interfere com o nosso quotidiano?

Em primeiro lugar devem tentar alterar alguns hábitos de sono, nomeadamente:

– estipular uma hora para ir dormir e acordar
– usar a cama só para dormir ( e “brincar”, claro) … nada de TV, livros, telefones,  e redes sociais
– tentar ir para a cama já com sono e sair da cama se não tiver sono
– evitar sestas durante o dia
– evitar café e outros estimulantes depois do almoço
– aprender a meditar /relaxar e outras técnicas de mindfulness
– fazer uma refeição leve ao jantar

Se estas medidas não forem suficientes devem procurar ajuda médica. Tudo o que interfere com a nossa qualidade de Vida deve ser alvo de intervenção.

Mas a medicação não deve ser evitada?
Sim, mas se não se conseguir dormir bem na maioria das noites após por em prática as medidas que acabo de referir…  a medicação é um mal menor… porque a repercussão no nosso rendimento diário é provavelmente mais prejudicial que a toma de medicação…

Na gravidez podem utilizar um medicamento que todas as grávidas têm em casa para as náuseas e aproveitar o seu principal efeito lateral… sim, estou a falar do famoso Nausefe , que já é utilizado há mais de 50 anos na gravidez, sem qualquer efeito descrito sobre o feto. Dois comprimidos meia hora antes de deitar, a maioria das minhas grávidas sabe bem o efeito soporífero que tem. E o mais giro é que muitos “grávidos” também… tenho vários maridos a pedir mais uma receita porque dormem muito melhor com a toma do Nausefe …
Claro que se a grávida referir que lhe custa a adormecer apenas por causa do refluxo/azia a medicação dirigida ao sintoma é a primeira linha.

Na menopausa os principais medicamentos que usamos são venlafaxina  (que  além de ser um antidepressivo tem um efeito muito positivo na diminuição dos sintomas vasomotores) e o triticum (também um antidepressivo que causa sonolência). E depois temos uma série de medicação como indutores de sono, bezodiapepinas , etc…O mais importante é que seja aconselhada por um médico e não começar a tomar o medicamento que a prima ou a vizinha usa…
A escolha da medicação vai depender do tipo de perturbação do padrão do sono, de outros medicamentos que estejam a tomar, de patologias associadas que apresentem. A medicação tem que ser a mais adequada e compatível com a pessoa em causa, com menos efeitos laterais e sempre na menor dose possível.

Na menopausa também é importante perceber que a maioria de nós com o avançar da idade precisa de dormir menos e aceitar… que 6h de sono são suficientes desde que no dia seguinte não se sintam cansadas e sonolentas

Desejo a todas um ótimo Domingo e acima de tudo uma boa noite de sono!

Se aprenderam algo com este post  ou conhecem alguém que dorme mal… partilhem…

Se gostou, partilhe:
Menopausa – em duas versões

Menopausa – em duas versões

Nos últimos meses escrevi um artigo para o blogue Elefante de Papel, e realizei um Webinar a convite da Cantabria sobre Menopausa e tudo o que todas devemos saber…

Umas de nós encontram-se já nessa fase, outras tantas lá chegaremos e na verdade com o aumento da esperança de Vida passaremos a maior parte da nossa Vida nessa etapa… conclusão? Interessa a Todas saber um pouco sobre este assunto, em particular sobre a Peri-Menopausa, que é a altura em que todas as alterações acontecem.

Convido-vos a ver o WEBINAR cujo link anexo AQUI, e onde penso estarem as respostas a quase tudo sobre o assunto. Não demora muito e de um modo simples explico vários conceitos, principais sintomas e opções terapêuticas.

Numa outra versão  segue o artigo publicado no Blogue Elefante de Papel, em formato de pergunta-resposta,  link AQUI.
São perguntas comuns, cujas respostas pretendem desmistificar alguns pontos acerca desta temática.

Pergunta para as minhas verdadeiras seguidoras… que versão gostaram mais?
Publicação vs Webinar?

Aguardo o vosso feedback ansiosamente …


E partilhem porque a informação na saúde pode salvar Vidas e neste caso dar mais qualidade à Vida…

Se gostou, partilhe:
Consumo de Peixe / ómegas 3 na Gravidez

Consumo de Peixe / ómegas 3 na Gravidez

Consumo de peixe e desenvolvimento feto

Este tema já é “tema” há alguns anos, aliás o pai da minha filha “obrigava-me” a consumir marisco e peixe pois tinha lido nessa altura uns estudos que associavam o maior consumo de peixe/marisco a um melhor desenvolvimento cognitivo do feto. A minha Maria fez agora 12 anos e é uma miúda bastante inteligente… portanto, por minha parte está confirmado. 🙂

O que se sabe?

Os PUFAs – ácidos gordos polinsaturados – nomeadamente os ómegas  3 e ómegas 6 são encontrados na dieta . Os que estão mais abordados nestes estudos são os ómegas 3, que podemos dividir nos EPAs / DHAs e ALAs (estes últimos são encontrados nas nozes e óleo de linhaça).

Os EPA’s e DHA’s (ómegas 3) são encontrados maioritariamente no peixe e marisco.

O feto precisa destes fosfolipídeos para construir as membranas celulares, em particular da retina e cérebro. Os DHA’s atravessam a placenta (ou seja são obtidos através da alimentação materna) e apresentam papel importante no desenvolvimento cognitivo e visual. Os EPAs facilitam a entrada dos DHA’s nas células.
O consumo é especialmente importante no terceiro trimestre da gestação (rápida formação cerebral).
Pensa-se que o consumo de cerca de 300 mg/dia de DHA seja suficiente.

O que é aconselhado?
Ideal será uma média de 3 refeições por semana de peixe rico em ómegas 3.
Quem não conseguir deve tomar suplementos ricos em ómegas 3… aliás normalmente a partir de metade da gravidez quase sempre prescrevo suplementos vitamínicos ricos em ómegas 3 às minhas grávidas.

Há risco se houver um aumento exagerado de consumo de peixes ricos em Ómegas 3?
Deve-se ter em conta que alguns peixes ricos em ómegas 3, também são ricos em mercúrio e o consumo excessivo de mercúrio tem um efeito neurotóxico, em especial no período fetal.

Quais os peixes mais conhecidos, com mais ómegas 3?
– Salmão
– Atum
-Cavala
-Sardinhas

Quais os Peixes com mais mercúrio? (e portanto a evitar em excesso na gravidez)
– Cavala
– Peixe espada
– Tubarão
– Atum

Alguns Peixes com pouco mercúrio são:
– Peixe manteiga
– Salmão
– Pescada

Deve-se ter em conta que o marisco não tem mercúrio e é rico em ómegas 3, por isso é sempre uma boa escolha… 😉

Portanto já sabem, se querem um bebé com bom desenvolvimento intelectual e visual… contribuam com uma boa dose de ómegas 3…o restante, já dependerá da genética…  😉

UM BOM RESUMO DESTE TEMA EM 10 MINUTOS ( do minuto 29 ao 39) E NA MELHOR COMPANHIA COM A QUERIDA MARIANA D’OREY …É SÓ CLICAR AQUI... PARTILHEM PORQUE É BOM DIVULGAR INFORMAÇÃO IMPORTANTE.

Se gostou, partilhe:
Happy Birthday… to me!

Happy Birthday… to me!

Mais um dia que desponta… num ano tão atípico, será que este aniversário conta?
Não! São os meus anos e recuso-me a falar da vedeta, ainda que vilã deste 2020…cujo nome nem prenuncio…

Cá me encontro no mesmo local do costume, sob o mesmo céu azul claro rodeada de palmeiras e passarinhos que chilreiam felizes.

Já não sou a mesma. Nunca sou a mesma, sou energia em constante mudança…
A minha rede alargou, estreitando-se aqui e destrançando-se um pouco mais ali.
Todos que por nós passam dão mesmo um pouco de si e levam um pouco de nós, mas mesmo levando, tornam-nos sempre maiores… melhores.

Este ano conheci pessoas fantásticas que me iluminam os dias, um pouco mais.

E mesmo nas desilusões e nos tropeções cresci e mesmo que em mim viva uma eterna menina, sinto hoje orgulho imenso na mulher que sou.

Hoje? Hoje quero ir ver o mar e mais que ver, quero mergulhar… embriagar-me em sal, que me arde nos olhos… porque a Vida não é para ficar a ver, mas para Viver, mesmo que às vezes arda, queime… senão não vale nada. E isso eu Sei.
Hoje quero abraços apertados, o beijo de quem Amo ao acordar. O Abraço quente da minha Mini, que há umas horas aguardou ansiosa pela meia noite para ser a primeira a me dar os parabéns… e me embeveceu ao dar-me um vídeo nosso, fantástico…

Como sou Feliz.

Mas não sou Feliz só hoje, sou Feliz todos os dias nas pequenas coisas do meu dia a dia. Cada vez mais…

Quando acordo e vejo o vulto da minha filha, de boca entreaberta ainda no Mundo dos sonhos…
Quando olho pela janela e vejo o mar, num dia de sol.
Quando recebo um ramo de flores, vindo do nada…
Quando encontro um novo bebé num ecrã do ecógrafo … e quando pelas minhas mãos o ajudo a entrar neste Mundo.
Quando vejo o olhar repleto de Amor quando mostro a uma mãe pela primeira vez o seu filho…
Quando me sento no sofá e recebo as lambidelas inquietas do meu cão, quando volto a casa.
Quando quem Amo alcança pequenas conquistas.
Quando as minhas Amigas e Amigos me mandam mensagem ou telefonam por tudo e por nada… só para contar o seu dia, ou para me perguntar como estou…
Quando respiro, só porque me sei Viva.

E agora tenho que ir… largar estas “folhas” porque quem me ama me chama para Viver mais este dia, o Meu dia… haverá razão melhor que essa para sorrir?
A companhia de quem amo, à beira do mar, sobre a brisa leve do Verão…

Se sou feliz? Sou… muitas vezes ao longo dos meus dias…

Porque aprendi a Viver o Agora, sem expectativas. Apenas percorrendo o caminho, coleccionando momentos, amando cada flor e cada pedra que surge … porque sem sombra não há luz… e só quando compreendemos isto começamos realmente a Ver.

 

Se gostou, partilhe:
Pregnancy Brain … ou Cérebro de Grávida

Pregnancy Brain … ou Cérebro de Grávida

Há uns dias atrás fui convidada para responder a uma questão peculiar…

” O cérebro de Grávida  é mito ou realidade?!”

Com esta questão pretendiam saber se a diminuição da capacidade de concentração e perda de memória a curto prazo, assim como diminuição da memória espacial/visual é mesmo real na gravidez.

Escusado será dizer que me agarrei ao teclado a escrever sobre um dos fenómenos mais transversais na gravidez… sobre o qual, quem me conhece sabe que dedico  sempre uns minutos das consultas a relembrar os maridos que é mesmo assim… e acontece com todas!

Na verdade sou só eu a praticar a função de advogada da minha paciente ( prezada incubadora do meu segundo paciente, o bebé)…

O Mundo tem que perceber que é mesmo assim… e que a grávida dedicada à sua principal função de momento ( formar todo um pequeno ser vivo) … “perde-se” um pouco em outras funções…

A boa notícia é que ao fim de cerca de um ano pós-parto, se o bebé for calmo e deixar a mãe dormir durante a noite… tudo volta ao normal.

Espreitem lá o texto na íntegra que saiu na Activa 23 julho… 

Para ler e partilhar, para que todos se lembrem que é mesmo Assim… e é tudo por um bem maior…

 

Se gostou, partilhe: