Select Page

NÃO CONSIGO ENGRAVIDAR … E AGORA?!

Na sequência do Domingo passado… e tendo em conta que já fizeram todos os exames de preconcepção, que os resultados obtidos foram todos normais e estão a tentar ativamente engravidar… SURGE A QUESTÃO:

O que fazer quando os meses passam e cada vez que o período atrasa 1-2 dias e a barriga está inchada, as mamas tensas e de repente, quase a rasgar a esperança…o período chega e vem associado a um mar de lágrimas?

O que fazer?

Em primeiro lugar não perder a esperança e depois:

Opção A- marcar consulta comigo… 😉

Opção B – ler o que se segue…

Nota: as opções não se excluem… 🙂

Infertilidade é definida quando um casal está a ter relações sexuais desprotegidas durante um ano e não engravida.
Perante esta situação devem ser excluídos vários factores que podem estar subjacentes.

Fatores de infertilidade

  • Fator feminino
    • Hormonal: Anovulação / Síndrome do ovário policístico
    • Factores anatómicos como:
      • Lesões intracavitárias (como pólipos, miomas submucosos e septos uterinos)
      • Impermeabilidade tubar
  • Fator masculino
    • Alterações no espermograma (seja em número, % de formas normais, % formas móveis ou mesmo ausência de espermatozóides).
  • Fator misto
    • Quando há fator feminino e masculino ( “ junta-se a fome com a vontade de comer”)
  • Fator idiopático
    • Quando todos os fatores são excluídos e não se encontra qualquer causa.

Estudos a realizar:

  • Análises, com estudo hormonal (na primeira fase do ciclo)
  • Ecografia vaginal
  • Estudo permeabilidade tubar: Histerossalpingografia
  • Espermograma

Que tratamentos?

  • Coito programado
    • Não se deve negligenciar este tratamento pois corretamente orientado e acompanhado, numa grande percentagem de casos são a primeira linha. Tenho na minha consulta, e entre as minhas pacientes já mães, várias que esperavam tratamento com técnicas e algumas mesmo que já tinham realizado o topo das técnicas e no consultório com uma indução da ovulação e orientação ecográfica e alguma matemática alcançaram a gravidez sem stress.
  • Técnicas de Procriação médica assistida (PMA) – Conjunto de técnicas que visam aumentar a probabilidade de fertilização.
    • IIU – inseminação intrauterina –> é a técnica mais simples, o esperma é colhido, concentrado e inserido dentro do útero na altura da ovulação.
    • FIV – fertilização in vitro –> procede-se a uma estimulação ovárica, quando os óvulos maternos estão maduros são colhidos sob sedação (aspirados dos ovários), entretanto os espermatozóides são colhidos e “tratados”. No laboratório depois são colocados em caixas de petri e espera-se que os gâmetas se unem e formem embriões. Dos embriões que se formam, escolhem-se os dois com melhores características e estes são colocados dentro do útero.
    • ICSI – injecção intracitoplasmática –> tratamento idêntico à FIV, mas um espermatozóide é inserido dentro de cada óvulo. tratamento necessário quando o fator é masculino grave ou idiopático.

Abordagens?

A abordagem vai depender do fator subjacente.
Ora , vamos lá por partes:

  • Detecção de lesões dentro do útero –> remoção
  • Factor anovulatório –> induzir a ovulação
  • Detecção de alterações da função tiroidea ou da prolactina –> corrigir!
  • Alterações do espermograma –> se graves, orientar para ICSI
  • Impermeabilidade tubar –> orientar para FIV/ICSI
  • Fator indeterminado –> orientar para FIV/ICSI

Em qualquer dos casos se o tempo está a passar e não estão a conseguir marquem uma consulta… quando se quer um bebé … há que ter o bebé…

Podem clicar AQUI ( entre os 15 e os 27min)… e ver uma entrevista sobre este tópico … ontem no Porto Canal.

 

Se gostou, partilhe: